domingo, 2 de novembro de 2008

Echo And The Bunnymen - Echo And The Bunnymen (1987)


Em maio de 1987 os Bunnymen estavam com fome de bola. Na verdade, os outro quatro rapazes de Liverpool estavam retornando à cena com seu disco homônimo e sofrendo críticas meio tortas de fãs e jornalistas musicais ao redor do mundo. Muitos reclamavam que a aspereza dos primeiros trabalhos havia ficado para trás. Outros diziam que o novo disco só trazia um hit, "Lips Like Sugar". Hoje, 21 anos depois, posso afirmar que tudo isso é uma grande bobagem. Que o digam todas as milhares de bandas que foram influenciadas pela estética dos homens-coelhos.

Este quinto disco é um dos melhores trabalhos já gravados por Ian McCulloch, Les Pattinson, Will Sergeant e Pete De Freitas (em sua última participação na banda, dois anos antes de morrer num desastre de moto), justamente por apontar uma direção levemente diferente do que a banda mostrava no início da carreira. Quase não dá pra notar que os mesmos moleques da estréia de Crocodiles, lançado sete anos antes, estão tocando nesse disco. Na verdade, toda a herança da encruzilhada Velvet Underground/Doors/Bowie ainda está aqui, só que apropriada totalmente pela verve de McCulloch, cheia de nuances, passagens belíssimas, percussões inesperadas, teclados gelados (inclusive o de Ray Manzarek, dos Doors) e, sim, belas canções. O andamento de "Lost And Found", a pureza pós-punk imaculada de "Over You", o aceno bandeiroso aos riffs de teclado dos Doors (executado pelo próprio Manzarek, numa auto-homenagem) em "Bedbugs And Ballyhoo", o saque às paradas de sucesso com "Lips Like Sugar", tudo é 100% Echo And The Bunnymen e tem cheiro de novidade.

No tempo em que New Order, Cure e U2 (já na sua fase megastar) levavam as sonoridades mais escuras da Inglaterra oitentista, o Echo sempre esteve mais próximo do verdadeiro underground, seja nas letras, no visual, no som, algo que não chega a esconder as gentis porções de pop perfeito em suas canções.

Em maio de 1987 os Bunnymen tocaram para um Canecão lotado de felizardos. Muitos dizem que este foi o melhor show a que assistiram, talvez tenha sido. Lembro que deixei de ir por algum motivo irrisório e fútil. Se estivesse nessa platéia, minhas lembranças de Echo And The Bunnymen seriam ainda mais afetivas e queridas.

OBS: os cinco primeiros disco do Echo foram relançados em 2003 em edições remasterizadas, cheias de faixas-bônus e outtakes de estúdio. Esse disco traz, entre outras pepitas, uma cover sensacional para "Soul Kitchen" (dos Doors, claro), que supera a original. E olha que esse é minha canção favorita da banda de Jim Morrison.

5 comentários:

zeca disse...

Gosto bastante desse disco, adoro a banda, uma das poucas coisas que valem a pena dos anos 80, mas prefiro o Ocean Rain, um álbum sublime dos coelhinhos.

Bolinho disse...

lindo disco! E me lembra quão velho estou!
abs, belo blog!

Plante Árvores disse...

eu adorei esse disco qdo foi lançado!

F3rnando disse...

Err...Só faltou avisar que o Ray Manzarek, em pessoa, toca em várias faixas desse lindíssimo play :P

F3rnando disse...

Aliás, vc lembrou muito bem isso...Bléh pra mim :B