terça-feira, 14 de outubro de 2008

Bryan Ferry - Boys & Girls (1985)


Se um disco pode ser luxuoso, chique e cheio de maravilhas ocultas, ele atende pelo nome de Boys & Girls.

O quinto trabalho solo de Bryan Ferry (mentor do genial Roxy Music) trazia uma constelação de astros do pop/rock, com destaque para as guitarras de David Gilmour (Pink Floyd), Nile Rogers (Chic) e Mark Knopfler (Dire Straits), o baixo de Tony Levin (da banda de apoio de Peter Gabriel), a bateria de Omar Hakin, o multi-instrumentista Marcus Miller, entre outros.

Ferry chegava ao ápice de sua proposta estética, um processo que ele iniciara ainda no Roxy Music, principalmente a partir de 1977, quando lançaram seu quinto álbum, Siren. A mistura de trejeitos ultra-cool, típicos de um crooner com instrumental oscilando entre levadas dolentes e românticas, finalmente estava moldado a caráter. O último disco do Roxy, Avalon (1982) parece uma introdução a esse clima, levado a cabo por Boys And Girls. Ainda que os dois trabalhos sejam bastante parecidos, a qualidade das composições e arranjos tornam a audição de ambos obrigatória.

O maior sucesso de Ferry está aqui. "Slave To Love", a música que sonorizou o filme 9 1/2 Semanas de Amor, foi vulgarizada e adotada como hit moteleiro. Não é pra menos: o arranjo é uma orgia de sintetizadores, guitarras, percussões, tudo conspirando para o rito de acasalamento em sua forma mais, digamos, completa. "Don't Stop The Dance", outro grande hit, já segue a linha mais dançante, mas é igualmente lânguido e convidativo.

O trabalho posterior de Bryan Ferry, Bete Noire (1987), ficaria um degrau abaixo de Boys & Girls e iniciaria uma discreta decadência da proposta original. Aqui, neste disco, Ferry está no auge, no comando.

Um comentário:

Cyn Costa disse...

Quando ouço Slave To Love, sempre lembro da cena clássica do filme 9 1/2 Semanas de Amor, a cena do gelo, as caras e bocas da Kim Basinger... =)
Essa muzga é muito coisística!!!