quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Bryan Adams - Waking Up The Neighbours (1991)


Engraçado. A trilha sonora da maioria das pessoas em 1991 é um mix de Ten (Pearl Jam) com Nevermind (Nirvana). Mas, todos na casa dos trinta e tantos anos reconhecerão a intro de "(Everything I Do) I Do It For You", tema de Robin Hood, estrelado por Kevin Costner.

Ela está nesse bom disco do mesmo ano do estouro do grunge, quase um representante de um outro mundo, muito distinto e distante do flanelão alternativo de Seattle. Não é ruim porque é lento, tradicional, baladeiro e partidário do rock de arena que, na época, fora ultrapassado pelo grunge e jogado fora no lixo da breguice.

Waking Up the Neighbours trazia "Everything I Do" e seus gloriosos seis minutos e tanto de midtempo. A canção ficou no topo das paradas americanas por sete semanas consecutivas. Isso não é surpresa para quem conhecia o talento de Bryan Adams para baladas derramadas. O sujeito já havia emplacado "Heaven" (faixa de seu disco Reckless, de 1984) nos dois lados do Atlântico e ainda cravaria vários outros sucessos do mesmo nível.

Muita gente nem lembra de Adams hoje em dia e, sinceramente, ele nunca chegou a ser um grande artista, mas sua capacidade de pegar o mais açucarado rock de arena e emplacá-lo nas paradas e trilhas de novela sempre foi seu forte.
Outros hits dele, frequentadores assíduos dos programas de flash-back das FM's: "Have You Ever Really Loved A Woman", "Can't Start This Feeling We Started", "Somebody", "Please Forgive Me" e "All For Love", em trio com Sting e Rod Stewart.

Bryan ainda está na ativa, lançou um disco no mesmo nível de Waking... neste ano - 11 - e segue em sua dobra temporal, cantando suas baladas para gente na meia-idade. As músicas do cara, ao fim das contas, lembram namoradas, outros tempos e festinhas nas quais ainda tinha a famosa "hora da música lenta". Isso acabou...

13 comentários:

giancarlo rufatto disse...

ah, não esse disco nem é bom, bom mesmo é o disco do pneu.

CEL disse...

O "disco do pneu", So Far So Good, é uma coletânea, né?
Eu gosto do clima de ""rock"" desse disco do Bryan. Ele tornou-se totalmente ingênuo da noite pro dia, em suas tentativas de fazer """rock""".

Cyn Costa disse...

Você citou exatamente a situação das músicas do Bryan Adams... lembrei do primeiro namoradinho, festinhas na casa da amiga, juras e promessas de amor eterno... ai, ai.

CEL disse...

Pois é, eu tenho pena das pessoas que vão lembrar de seus primeiros amassos quando ouvirem a melô do créu...

jwagner disse...

hahahaha

giancarlo rufatto disse...

sim, é coletanea. o maximo que consigo suportar - uma coletanea.

zeca disse...

Bryan Adams? Yuk!

jorge disse...

Por quê minha postagem não foi publicada?

giancarlo rufatto disse...

voltei aqui porque lembrei de uma historia: vi o trailer de robin hood e tocava a musica do Bryan adams. e a musica não toca no filme. Toda vez q passa na tv fico puto.

CEL disse...

Jorge, não vi outra postagem tua por aqui. Poderia repostar?

jorge disse...

Comento DE NOVO, entonces...

Mesmo tendo sido adolescente nessa época aí, prefiro considerar como coisa boa a molecada dos anos 70 dando seus amassos no baile do mela-cueca ao som de "I Am Love" do Jackson 5 (eu nasci em família só de irmãos e primos MAIS VELHOS, então, é influência ambiente).

Em 1991, eu detestava Bryan Adams (hoje tolero a possibilidade de aplaudí-lo como baladeiro pop)...
e faço uma retificação: esse disco estourou no Brasil ANTES do "grunge" mencionado no texto, que só foi começar a dar as caras por aqui no começo de 92.

CEL disse...

É, eu me lembro de ouvir a música do Robin Hood na mesma época que o Nevermind estava estourado na MTV, acho até que um sucedeu o outro. O disco talvez tenha vindo um pouco depois mesmo. A idéia de contextualizar com o grunge levou em conta o ano de lançamento lá fora...

mochileirodosol disse...

Essa história de dizer que musica lenta acabou é para que vive no seu próprio mundinho.Quem consome e tem dinheiro para comprar é o pessoal de "meia idade".Essa mulecada está sempre dura e só compra cd pirata.
São os "velhos" que mais consomem essas musicas antigas.