terça-feira, 28 de outubro de 2008

Ben Folds Five - Ben Folds Five (1995)


Falar sobre esse disco é lembrar de um tempo em que eu garimpava novidades nas lojas do Rio de Janeiro. Veja, nunca foram muitas lojas, mas a Spider, localizada numa galeria em Ipanema, tem lugar cativo na memória. Ali eu ouvi Oasis pela primeira vez, comprei minha cópia de Parklife (melhor disco do Blur) e conheci o Ben Folds Five. Por acidente, diga-se.

Eu havia ido até lá para comprar What's The Story Morning Glory, o segundo disco do Oasis, mas as cópias - encomendadas da Inglaterra - ainda não haviam chegado. Com a mão coçando por algum disco novo, pedi para dar uma olhada no que havia na prateleira. Lá estava um single com a música "Underground", tendo "Sports And Wine" como lado-B.

A banda era totalmente desconhecida pra mim, mas a capa do single - verde - me despertou a curiosidade. Pedi para ouvir e fui imediatamente fisgado. Que piano era aquele? Que gente estranha era aquela, com vocais em falsete, levadas de semi-jazz misturado com pop perfeito, tudo como se Elton John e Billy Joel aparecessem disputando uma corrida de skate num bowl ensolarado?

Fiquei atônito e comprei o single imediatamente, saindo da loja para um dia de sucessivas audições. À noite, na sacrossanta Faculdade de Comunicação da Uerj, apresentei a novidade a meus amigos, que foram imediatamente capturados pela magia do Ben Folds Five. Falei deles na Revista Rock Press, na faculdade, comprei seu disco completo na própria Spider alguns dias depois - deixando o Oasis para mais tarde - e me deparei com mais canções perfeitas: "Julianne", "Jackson Connery", "Uncle Walter", "Boxing", "Where's Summer B?" e a melhor de todas, "Philosophy".

Com Ben Folds no piano, Robert Sledge no baixo e Darren Jassee na bateria, a banda não tinha guitarra, muito menos cinco integrantes como o nome sugeria. Além disso, os malucos - todos da Carolina do Norte - estavam debutando com esse disco fabuloso, mais nerd que o Weezer, mais talentoso que quase todo o pop noventista americano - sem exagero. Ouvir esse disco é uma obrigação para você, leitor. Ben Folds Five é sensacional.

6 comentários:

Plante Árvores disse...

"levadas de semi-jazz" ??!!
:P

CEL disse...

Sim!!
Pelo menos em "Sports And Wine", "Philosophy" e "Underground" há uns improvisos de algo que também poderia ser chamado de "nerd jazz".

jwagner disse...

assumo que entre os três Bens (Kweller, Lee & Folds), é o último quem eu menos conheço (dos dois primeiros, tenho basicamente tudo, e não me canso de ouvir). cheguei a baixar toda discografia do cara na casa da minha namorada, mas por alguma razão, até hoje não copiei.
preciso consertar isso...

CEL disse...

Devo dizer que o Folds é o mais talentoso desses "Bens" aí, meu caro JW.

Plante Árvores disse...

não conhecia, CEL.
baixei um disco agora há pouco
("whatever & ever amen") e to
achando mt legal meeeeeeesssmo ! !

valeu a dica :D

CEL disse...

O Whatever... é o segundo disco deles. Também é muito bom. Tudo que o Ben Folds faz é acima da média. Vale também conhecer o Ben Folds Live, disco ao vivo, em que o sujeito se apresenta sozinho e tira todos os sons do piano.